Coronavírus

CORONAVÍRUS

Portal de apoio às periferias

TeleCorona

Oferecemos uma rede de apoio às periferias com especialistas em Saúde para ajudar a população que vive nas comunidades brasileiras no combate ao novo Coronavírus.

0800 042 0503

Ligue gratuitamente
Atendimento de segunda a sexta, das 8h às 19h

A pandemia do coronavírus (COVID-19) vem expondo todos os outros problemas, como o consumo excessivo de bens e serviços, problemas econômicos e desigualdade entre as populações. Com o Brasil não é diferente.

Parte do mundo e do Brasil tem discutido sobre quarentena e isolamento absoluto. Por outro lado, existem as pessoas que trabalham em supermercados, no comércio informal, no transporte e no terceiro setor que estão constantemente expostos à situação pandêmica e a quarentena não é uma opção.

Este portal é fruto da preocupação da equipe da AfroSaúde em manter a população negra e periférica informada sobre como se proteger do coronavírus nas comunidades, locais onde, historicamente, o poder público não chega de maneira efetiva, causando diversos problemas sociais e tornando esta população ainda mais vulnerável em situações como epidemias e pandemias.

lave sempre as mãos

Mantenha suas mãos sempre limpas com água e sabão

sapatos e roupas

Ao chegar em casa, tire sempre os sapatos e deixe próximo à porta. Coloque as roupas para lavar

Objetos pessoais

Evite compartilhar objetos pessoais, como talheres, toalhas, copos, escova dental e outros utensílios

evite o contato próximo

Esta é a melhor forma de evitar o contágio ou passar o vírus para outra pessoa

Evite aglomerações

Se distancie das pessoas o máximo possível, pois o vírus tem grande poder de contágio

ambientes ventilados

Manter a ventilação natural dos ambientes é fundamental para evitar a contaminação pelo COVID-19

Ficar em casa salva vidas

As pessoas podem pegar o COVID-19 de outras pessoas que têm o vírus.  A OMS está avaliando pesquisas em andamento sobre a maneira como o COVID-19 é disseminado e continuará a compartilhar descobertas atualizadas.

Mas, até o momento, o distanciamento social é a e as medidas de higiene adequadas são as formas mais eficazes de combater a disseminação do vírus.

Por isso, se puder, fique em casa!    

A doença pode se espalhar de pessoa para pessoa através de pequenas gotículas do nariz ou da boca que se espalham quando uma pessoa com COVID-19 tosse ou exala. Essas gotículas pousam em objetos e superfícies ao redor da pessoa. Outras pessoas pegam o COVID-19 tocando esses objetos ou superfícies e depois tocando nos olhos, nariz ou boca. As pessoas também podem pegar COVID-19 se respirarem gotículas de uma pessoa com COVID-19 que tosse ou exala gotículas.  Por isso que é importante ficar a mais de 1 metro (3 pés) de uma pessoa doente.

Lembre-se: se puder, fique em casa!

Pesquisadores e médicos defendem essa opção, principalmente, por existir pessoas infectadas pelo vírus, mas assintomáticas. Estudos revelam que a máscara caseira, feita com tecido de algodão, reduziu em até 78% a eliminação de microrganismos no ambiente, impedindo que as partículas sejam transportadas pelo ar, além de limitar o contato das mãos com boca e nariz, através de uma barreira física.

Para ser eficiente como uma barreira física, a máscara caseira precisa seguir algumas especificações, que são simples. É preciso que a máscara tenha pelo menos duas camadas de pano, ou seja, deve ser dupla face. E mais uma informação importante: ela é individual. Não pode ser dividida com ninguém. As máscaras caseiras devem ser desenhadas e higienizadas corretamente. Podem ser feitas em tecido de algodão, tricoline, TNT ou outros tecidos. O importante é que a máscara seja feita nas medidas corretas cobrindo totalmente a boca e nariz e que estejam bem ajustadas ao rosto, sem deixar espaços nas laterais.

o coronavírus e as comunidades brasileiras

nossos apoiadores oficiais